Arca com decoração na face principal alusiva às quatro estações do ano, tendo gravado a meio do friso o retrato do tumulado, num medalhão sustentado por duas vitórias aladas, ladeadas pelos génios das estações. Nos extremos do friso há um pastor tocando flauta de Pan e dois jovens pisando uvas numa dorna.
A peça exibe um valor escultórico de pendor clássico, com disposição das figuras em friso, perfiladas e trajando vestes à romana. Tem um sentido religioso, envolto em respeito pelo mistério da vida eterna: a evocação do culto de Baco (ou Dionísio para os gregos), através dos símbolos de vindimas e lagares, sugere os prazeres de uma vida além-túmulo.