Púlpito raro ou mesmo único, representante da transição do Gótico para o Renascimento. De forma hexagonal, é composto por painéis evocando a forma de um cálice, correspondendo a uma forma dos púlpitos góticos. Nele se sobrepõem elementos góticos na base, animais fantásticos, quadrúpedes de dorso arqueado e ainda três pináculos de fino rendilhado. Na talha dos painéis, encontram-se, desenvolvidos em talha baixa, elementos que o ligam ao formulário ornamental Renascentista: vasos clássicos, ou taças de gomos, pássaros fantásticos e cornucópias.
Informações não documentadas associam-no como tendo pertencido a S. Francisco Xavier que o utilizaria nas suas pregações em missionação na Índia.