Destinado a conter um faqueiro em prata, o presente exemplar foi já considerado como uma das melhores peças do mobiliário rococó português. Para tal consideração não terão sido estranhas as pequenas dimensões da peça, onde e apesar de tal circunstância se encontram reunidas todas as qualidades técnicas e artísticas do mobiliário de setecentos.
Distinguem-se três momentos decorativos, separados por molduras salientes em planos horizontais. A caixa tem uma forte ondulação visível nas ilhargas. No entalhamento superior consta o vocabulário ornamental de minuciosas espécies florais e o do entalhamento central apresenta um invulgar mascarão. O escudete em prata figura com tradicionais concheados.