Henrique Pousão não limitou as suas composições ao naturalismo mimético e narrativo em que se tinha enredado a pintura portuguesa. As obras realizadas em Roma traduzem ainda o cumprimento dos preceitos académicos a que o pintor estava sujeito mas revelam um novo entendimento da pintura. Pousão não tardou a revelar aquilo que define a sua pintura e que esta obra exprime claramente: as formas expressas e recortadas em manchas densas de cores justapostas num jogo de contrastes de claro-escuro e luz-sombra.