31 de Outubro2006 a 18 de Fevereiro 2007

Em Lumen, André Gomes evoca os diferentes estados de uma matéria que se transubstancia e que, por fim, já não é senão o esforço de uma imagem do que é incapturável, do que não tem possibilidade de registo. Esse corpo é já vestígio, memória. Mas é também recomeço. Indício. Caminho para a luz, para o que é ígneo.

A ampliação fotográfica e, sobretudo, a justaposição das imagens em painéis de doze, seis, quatro e duas imagens, expande o carácter íntimo dos registos efectuados.