24 de Janeiro a 27 de Abril 2008

Rituais de Inverno com Máscaras homenageia um dos ícones mais poderosos da cultura transmontana, as Festas dos Rapazes, que celebram momentos fulcrais do calendário da vivência aldeã e que têm, no uso de máscaras, marca de particularidade ancestral.

A Exposição toma como objecto principal a relação com o sagrado no âmbito do Ciclo de Inverno no Nordeste Trasmontano, designadamente na relação entre vivos e mortos, que frequentemente as Máscaras personificam, com amplos paralelismos com o culto aos mortos noutros contextos culturais, precisamente no mesmo momento do calendário cerimonial popular (iniciado a 1 de Novembro, com o Dia de Todos-os-Santos), como sucede, por exemplo, no caso do México.

A exposição beneficiou de um levantamento sistemático traduzido na recolha de uma colecção para o acervo do Museu, no levantamento fotográfico no terreno, bem como de um levantamento vídeo que a acompanha e complementa.

O projecto foi coordenado cientificamente por Benjamim Pereira, que integrou o grupo fundador do Museu Nacional de Etnologia, e que nas décadas de 1960/70 realizou pesquisas e recolhas de terreno sobre as festividades de Inverno em Trás-os-Montes, sendo autor de Máscaras Portuguesas (MEU/JIU, 1973), obra de referência para o estudo desta tipologia da cultura material.