De 22 de Fevereiro a 1 de Junho 2008

A cerâmica produzida na Antiga Grécia constituiu sempre, ao longo de séculos, um motivo de atracção e coleccionismo. Ninguém é insensível à beleza plástica destes vasos, que constituem verdadeiras obras de arte, nas quais os motivos pintados, monocromáticos ou policromos, apresentam grande diversidade, desde os geométricos puros até às figurações de elementos da vida quotidiana e de cenas de natureza mitológica, constituindo neste caso verdadeiros ex-libris divulgadores do pensamento filosófico-religioso da Antiguidade.

Entre nós, existe uma certa sensação de quase vazio relativamente este universo de peças, o qual resulta em grande medida do facto de nunca o coleccionismo de vasos gregos ter aqui sido prosseguido de forma sistemática e não ter também havido em séculos passados "missões arqueológicas" portuguesas no Mediterrâneo centro-oriental.

A presente exposição sugere um horizonte algo diverso do da escassez acima evocada. Em museus e instituições oficiais portuguesas e em colecções privadas existem afinal peças de grande valia histórica e patrimonial, porém muito dispersas e em grande medida desconhecidas, senão inteiramente inéditas. Reunidos pela primeira num mesmo espaço os mais importantes exemplares de vasos gregos existentes em Portugal, num total de cerca de seis dezenas de peças, revela-se toda a grandeza deste tipo de peças, sendo o seu primeiro impacte visual completado, em exposição e em catálogo, pelo comentário erudito, mas simples, de Maria Helena da Rocha Pereira, comissária científica da exposição, à que qual se juntam alguns dos mais credenciados especialistas portugueses nestas matérias.

Com a apresentação da Exposição no Porto, o Museu Nacional de Soares dos Reis divulga este excepcional conjunto de vasos a que associa duas colecções do Porto recentemente estudadas pela professora Maria Helena da Rocha Pereira e pelo professor Rui Morais. São estas as do Museu de História Natural da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e a do próprio Museu Soares dos Reis, reunida em 1826 pelo coleccionador João Allen e provavelmente a primeira colecção de vasos gregos existente em Portugal.

É também feita nesta exposição referência à presença dos gregos em território português, apresentando-se os principais achados realizados em contextos arqueológicos, de Sul a Norte do País.